Baixar Versos Íntimos – Versos Íntimos Mp3



Baixar Versos Íntimos - Versos Íntimos Mp3

Informações da Musica

Artista: Rapadura
Musica: Versos Íntimos
Gênero: Rap
Lançamento: 2019

Baixar Musica Versos Íntimos em MP3 do Rapadura, lançado no canal Dj Caique produzido por Dj Caique. Veja Como baixar o hit direto em seu celular.


Download da música Versos Íntimos – Rapadura Mp3 (Lançamento 2019) Grátis no seu Celular

Informações do Arquivo:

Tamanho: 5 MB
Formato: MP3
Qualidade: 320 Kbps

Download : Link Direto | Baixar Direto do Celular


Vídeo Clip e Letra Da Musica: Versos Íntimos

Clipe da Música Versos Íntimos – Rapadura Mp3 – Ouvir Musica

[Intro]
O que posso dizer é que sou grato
Até pelas dificuldades da vida
Que Deus abençoe o nosso dia
Amém

[Verso 1]
O céu chora e o mundo lá fora é tão frio e denso
Mas aqui dentro me devora um vazio imenso
Quanto mais penso tudo só piora, me sinto tenso
Preciso ir embora to morrendo por que nasci intenso
Quanto mais amo, transo com teu desprezo e me fodo
Já não me derramo, tô seco e com medo do aborto
Por anos atiro a esmo, sou mesmo um peso morto
Universo em desencanto, corpo preso mesmo solto
Eu desvendei o mistério dessas faces boas
E hoje sou estéril, e não quero estar com pessoas
Quanto mais se entrega, se doa, se nega e magoa
Cometi o adultério traindo meus versos com outras
Meras folhas virgens, se excítam ou fingem?
Poesias felizes, tão belas quanto atrizes
Tive noites sublimes, amigos e meretrizes
Sem grana, sem convívio, sozinho em dias de crises
Entre deslizes, só o eco de términos precoces
O ego sem limite, o velho método de posse
Enxergo com vertigens, me entrego a metamorforse
Pretérito imperfeito afeta por mais que eu me esforçe
E caso forçe perco o sono com o stress
Eu já nem sonho pois os sonhos tem demônios fiéis
Somos errôneos sobrepomos bossos donos em anéis
Matrimônios são só sinônimos, nomes em papéis

[Refrão]
Isso é muito além de mim
Eu juro não queria que fosse assim
Raiou, o sol do novo dia raiou
E esse não é o meu fim
Tenho muito a dizer
Só quem ressucitou vai conseguir me entender
Raiou, o sol do novo dia raiou
E a minha fé não tem fim, não tem fim

[Verso 2]
Quarto vazio sempre a sós entre garrafas
Bêbado com os fantasmas da voz que desabafa
Lembranças na alma destroem o corpo em maus lençóis
O tempo é feroz, não sei do após o algoz psicografa
Me traí com palavras, jurei amor no casório
Minhas filhas não tem culpa, já nem amava a mim próprio
Cansei de dar desculpa e dos padrões impostos
Papai tá na luta, entre mortos e vivos remotos
Como Patch Adams no amargo do âmago
Mais perto da Clara Liz no vago do âmbito
Sou sonâmbulo, gosto do sábado, tem menos tráfego
Maria Flor devolve o ânimo, acalma o trânsito
Sem zona de conforto, reviro o anexo
Um anti-herói não tem que fazer sentido ou nexo
Do que esperam sou o oposto, um esboço complexo
Ser forte dói, suporto o soco e todo reflexo
Carrego um fardo incalculável e sólido
O poeta dar o máximo e é pago com o mínimo
Sou filho pródigo mas não pago o dízimo
Gênio indomável, implacável, quebrando o código
Expulso do zodíaco, caranguejo malígno
Sou de câncer, toco nuances, bagunço os sígnos
Romances indígnos, inconstantes desígneos
Como Augusto dos Anjos na estância de versos íntimos

[Refrão]
Isso é muito além de mim
Eu juro não queria que fosse assim
Raiou, o sol do novo dia raiou
E esse não é o meu fim
Tenho muito a dizer
Só quem ressucitou vai conseguir me entender
Raiou, o sol do novo dia raiou
E a minha fé não tem fim, não tem fim

(Visited 236 times, 1 visits today)
Updated: 19 de julho de 2019 — 15:49

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *